Header Ads

Darling in the FrankXX || Impressões Semanais #10 ao #14

Primeiro de tudo, preciso me desculpar pelo atraso. O que houve é que, com a volta das aulas, meu tempo foi drenado e eu não consegui por os episódios em dia. Como compensação, fiz essas impressões como um "episódio a episódio", comentando de cada um separadamente e juntando no final. Espero que sirva, e novamente, desculpem-me.
"Afinal, você irá morrer.", essas palavras não ditas são as mais marcantes do episódio 10 sem dúvidas, mantendo o clima deixado por todo esse episódio. Todos eles já se conformaram em morrer jovens, mas, para alguns, mais vale uma ilusão do que se conformar com a realidade. Na vida, diversas vezes passamos por situações onde preferimos nutrir falsas esperanças, ilusões, a aceitar a realidade. Se com as mais diversas coisas já assumimos essa atitude, por que não com algo tão precioso quanto a vida? Pelo menos é assim que eu leio as atitudes do Zorome.
Mas, se por um lado isso foi fortemente mostrado através de palavras, não realmente vemos esse perigo na prática. Houveram algumas situações, como a do episódio 3 ou do 6, mas, num mundo tão perigoso assim ainda não termos visto ninguém morrer é no mínimo estranho. Poderíamos fazer a defesa dos poucos episódios anteriormente, mas agora já estamos quase na metade e esse perigo, um perigo de certa forma diferente do demonstrado nos episódios anteriormente citados, foi apenas verbalizado.
Agora, sobre o comentário da cidade parecer morta, achei realmente interessante. Se pararmos para perceber, não há pessoas caminhando pela cidade, tudo demonstra uma situação fria, apesar das cores quentes. O uso das cores contribui para exemplificar melhor a visão que as crianças tem da cidade, mas ao mesmo tempo conseguem deixar claro o quão morta a cidade é pela simples falta de pessoas e barulhos, de fato gostei muito disso.
Outra coisa que contribuiria com o citado acima, seria a saúde demonstrada pelos mais velhos. Eles dão a entender que aquela seria a mãe do Zorome, mas vejamos, ele não é tão velho assim, então ela não deveria ser um pouco mais jovem? Isso pode ser só uma bobagem, mas foi a impressão que ficou em mim. Não lembro se citaram que fazem experimentos com as cobaias, então não posso afirmar, mas a impressão que me deu foi que testaram coisas que deixaram a saúde muito fraca, coisa demonstrada com ela desinfetando a casa e também seria uma explicação para a falta de pessoas nas ruas, e os corpos em seus limites, ou talvez os próprios FrankXX façam isso, já que não sabemos como eles funcionam. 
O episódio 10 também conseguiu contribuir para criarmos empatia com o Zorome, que vem sendo um dos meus personagens preferidos de Darling, mesmo não entendendo direito os motivos, apenas flui e me agrada. Ele pode ser um estereótipo, mas suas atitudes não me parecem forçadas.
Já o episódio 11, apesar de ter alguns momentos interessantes como o teste do funcionamento apenas com 2 pistilos, acabou, pelo menos para mim, sendo chato. O estado em que a Zero Two estava desde o episódio anterior fez com que a luta me soasse irritante, pois sabia que aquilo estava longe de seu potencial.
Já que citei a essa luta, por que não falar mais dela? Achei realmente chata, mesmo tendo uma conclusão interessante. A luta foi um pique-pega pela maior parte do tempo, valendo mais pelo encerramento, que apesar de climático, não achei que fez sentido com o resto da luta, sendo "fácil demais".
Para mim o que mais se destacou nesse episódio acabou sendo apenas o drama, mesmo que não tendo gostado tanto. Conseguiu me fazer gostar um pouco mais do Mitsuru e acrescentar novas relações, mas nem isso me agradou tanto assim. Também houve uma leve mudança na Kokoro, tentando entender sobre procriação, coisa que os adultos já abandonaram e o leve aumento do mistério sobre o Hiro.
Agora indo ao episódio 12, achei ele muito bom e interessante. O maior foco dele foi em algo que já vinha sendo trabalhado a alguns episódios: a situação da Zero Two. Isso vinha me irritando um pouco, mas nesse episódio eu simplesmente achei interessante. Quando ela percebeu as mudanças, começou a entrar em pânico, afinal o seu quase que único objetivo estava indo por água a baixo, estava falhando, não, pior, estava piorando a situação. Nessas horas, o desespero começa aos poucos a aumentar, até não conseguirmos mais segurar os sentimentos sozinhos e a bomba explodir. Acredito que até mesmo ela já notou que é inútil, mas as palavras que usei sobre as ações o Zorome também se aplicam aqui.
Aos poucos, todas as informações que foram deixadas soltas pelos episódios vão se juntando, e achei isso um ponto alto do episódio. Ao ficar extremamente claro que eles eram diferentes, sem surpresa, já sabiam, e o público também. Ao ver que a Zero Two estava regredindo, sem surpresa, já sabíamos. Hiro sendo afetado geneticamente ao pilotar com a Zero Two, sem surpresa, já sabíamos. O foco desse episódio foi mostrar mais o que já sabemos, e eu achei bem interessante pois essas "infos largadas" são as partes que mais gosto nos episódios.
Dentre isso tudo, o que ais gostei foi como eles vem trabalhando os glóbulos amarelos: nunca dão informações concretas, mas alguns detalhes ficam fáceis de notar e adivinhar. Atualmente daria a definição de que são glóbulos não naturais que possibilitam duas pessoas pilotarem um Frankxx, mas que podem causar sintomas físicos junto de alterações  na personalidade e, dependendo da quantidade, alterações genéticas. Mesmo não dizendo diretamente, fica compreensível e acho isso bem interessante.
Entre informações novas, acabaria citando apenas o claro aumento do desespero e da tensão sobre a humanidade e a revelação de quem é aquele loiro, apesar de que já dava para pegar isso. Também houve a declaração do Hiro, mas eu não gostei dessa parte. Consigo ver que a aproximação deles não foi imediata, mas, mesmo assim, isso não me desce muito bem. Isso nem é por uma questão de falha, é mais que, por algum motivo, esse ship me incomoda.
Passando para o episódio 13... Esse me deixou sem palavras. Pode parecer bobo, mas a coisa que mais me impressionou nele foi a transição de chiado. É bobo, mas ando descobrindo que gosto disso. Além disso, adorei como ela foi usada no início para alterar os pontos de vista, dando um efeito que eu achei muito legal.
Além disso, para mim tudo fez sentido. O Hiro ficou encantado ao ver alguém com atitudes semelhantes, como a própria Ichigo disse: "ser diferente é assustador". Mesmo que tendo uma enorme diferença em o quão forte são suas atitudes, ele conseguiu ver alguém que também não tinha medo de ir contra os adultos, alguém diferente, especial, com os mesmos pensamentos e igual. Isso é confortante, e foi isso, junto de sua empatia, resistência descomunal a glóbulos amarelos e necessidade de conhecimento, que o permitiu tomar tais ações. Por alguns instantes, ele parou de se preocupar com o futuro e só via o presente, parou de pensar nos possíveis arrependimentos, é esse ato que nos permite tomar atitudes tão drásticas em alguns momentos.
Também, achei muito fofa a relação dos dois, realmente me parecendo crianças. Além disso, também serviu para demonstrar um ponto relativamente novo, os privilégios dentro dos jardins. Algo não muito novo para nós telespectadores, mas que achei interessante ressaltar.
E finalmente indo ao episódio 14: eu achei interessante. Gostei como as ações tiveram consequências. A partir do momento que eles se importam com o Hiro, é natural que eles tentem o proteger, ao mesmo tempo que a Zero Two e ele sabem de mais coisas, o que os faria procurar um pelo outro. Oque eu não gostei nisso foi que, para mim, eles mudaram de ideia rápido demais. Para mudar assim de ideia, a motivação não deveria ser forte, mas parece muito forte, então não consigo ver lógica.
Sobre os desejos de ser humana da Zero Two na verdade serem pelo Hiro, não me pareceu ruim. Todo aquele flashback, mostrando que os únicos humanos que ela conhecia a torturaram, enquanto ele foi gentil e a ajudou, faz isso ter sentido e não me parecer forçado. Mesmo assim, eu não acho que ela "daria uma de yandere" como foi naquela situação. Pode nem ser realmente um defeito, mas me incomodou. Ela não havia sido apresentada como uma yandere, apesar de eu entender que isso não realmente causaria uma quebra levando em conta o estado mental dela no momento e sua própria personalidade.
E mesmo que ela estivesse saindo no dia seguinte, achei meio "conveniente demais" eles irem se encontrar no mesmo instante, poderia ter menos coincidência.
Sobre o beijo, eu não achei sem sentido, e estou só citando por ter sido um momento impactante. Eu curti a cena, mas não vejo nada em especial para ser comentado nela além de o quanto a Ichigo precisou se esticar.
Agora indo para a opinião geral desses episódios, todos tem uma coisa em comum: a Zero Two ficando cada vez mais instável. Deu para notar claramente ela piorando pouco a pouco e eu gostei muito disso.
Sobre os episódios 10 e 11, meio deslocados desses outros 3 por se focarem em explorar personagens, conseguiram se interessantes para mim(mais o 10, o 11 nem tanto). Já do 12 ao 14, achei que foi um bom arco de desenvolvimento do casal, me deixando para ser curiosa. Agora que todos(ou quase) os personagens já foram devidamente apresentados, acredito que a trama irá acelerar, e estou bastante curiosa com o que vão fazer de agora em diante. Foi difícil, mas conseguiram trazer a vida novamente meu ânimo do primeiro episódio.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.